Metaverso na Moda

A evolução da tecnologia, juntamente com as noções de inteligência artificial, tornaram possível a criação do intitulado Metaverso. Mas o que é Metaverso? Como ele é aplicado no mundo da moda? E como se beneficiar dele?

Essas respostas você encontra neste artigo.

O que é Metaverso

O Metaverso como é conhecido hoje é um mundo virtual que tenta imitar a vida real através de dispositivos tecnológicos. É um espaço coletivo e integrado que busca compartilhar informações entre os usuários e fazer com que eles se sintam na vida real, e não virtual.

Isso é uma evolução, já que até agora as redes sociais, acessadas através dos nossos dispositivos, foram a única forma de se relacionar virtualmente e compartilhar espaços.

Na prática, o Metaverso possibilita, através de dispositivos com óculos de realidade virtual, fones de ouvido e sensores, uma vivência virtual da realidade como ela é.

É fato que muitos dispositivos que tornariam o Metaverso viável ainda não existem, mas os primeiros passos foram dados.

Como o Metaverso pode ser aplicado no mundo da moda

Primeiramente, é preciso frisar que o Metaverso não é um ambiente que procura replicar a experiência do consumidor no mundo virtual, o objetivo é ir além. É hora de explorar as dores do cliente ainda mais.

O guarda roupa virtual já é uma realidade, marcas como: Gucci, Balenciaga, Louis Vuitton, Tommy Hilfiger e Nike já tem “skins” em jogos virtuais.

Existem várias formas que o Metaverso pode ser aplicado no mundo da moda, algumas são: transformar as peças em 3D, desfiles e eventos no ambiente virtual e a transformação de personagens digitais em ícones da moda.

Gucci e Balenciaga no Metaverso

Dois exemplos que foram mestres na utilização do Metaverso são as empresas Gucci e Balenciaga.

Podemos citar o caso da bolsa versão digital da Dionysus, da Gucci, que foi vendida no jogo por 4.100 dólares, um valor quase 1.000 dólares mais caro que a bolsa na versão material. A Balenciaga não ficou para trás e produziu itens de vestuário, mas com custos baixos, como 8 dólares.

A Balenciaga recentemente fechou uma parceria com Fortnite para oferecer itens de sua coleção como skins e acessórios para os jogadores. Isso só mostra o fortalecimento do mercado.

A Gamificação e a Nikeland

A Nikeland é um universo virtual no qual é possível interagir em jogos de esporte gratuitos e usar os artigos virtuais da loja da Nike.

Com uma junção de gamificação Metaverso, a Nike sai na frente de muitas empresas fazendo a integração do mundo de esportes com a esfera digital.

Algumas funcionalidades interessantes da Nikeland são:

  • Possibilidade de criação dos seus próprios minigames;
  • Uso o acelerômetro de seus celulares para registrar movimentos físicos e controlar seus avatares online;
  • A disponibilidade de peças virtuais da Nike;

É realmente um universo que integra não só as questões do esporte, mas a vida em si.

O que são NFTs e como eles se aplicam ao Metaverso

Vamos começar com a tradução, em português NFTs equivalem a token não fungível. Para entender o que ele é, temos que entender primeiro o que é “token” e “fungível”.

Token no contexto de criptomoedas, é a representação digital de um ativo – como dinheiro, e outras propriedades – registrada em uma blockchain.

Bens fungíveis, de acordo com o Código Civil Brasileiro, são aqueles “que podem substituir-se por outros da mesma espécie, qualidade e quantidade”. Um exemplo prático disso é uma nota de R$100,00, ela pode ser trocada por 2 notas de R$50,00 ou de outras formas, com outras notas.

Um token não fungível é equivalente a um certificado digital de propriedade que qualquer um pode ver e confirmar a autenticidade, mas ninguém pode alterar.

Contextualizando os NFTs com o Metaverso já explicado acima, chegamos à seguinte conclusão: um carro, uma casa, obras de arte, roupas, ou qualquer bem da vida real existirão no virtual. Logo, os NFTs garantem a propriedade digital.

Lu e a capa da Vogue

Uma das últimas notícias foi a capa da Vogue na qual a protagonista é a Lu da Magalu, nada mais, nada menos que o avatar virtual da empresa.

Essa ação foi uma forma de incentivar empreendedoras do Nordeste a utilizar a plataforma da Magalu. Na imagem da capa a Lu está usando vestimentas idealizadas por essas empreendedoras.

Esse é um ótimo exemplo do Metaverso afetando as plataformas on e off-line.

Os avatares são o futuro

Aqui na PerSizes buscamos utilizar os avatares para fazer uma representação fiel do usuário. Com as suas medidas e especificidades.

Uma das nossas prioridades é criar avatares inclusivos, para que qualquer pessoa que entre na loja se sinta representado.

Lojas de roupas e acessórios conseguem se beneficiar muito com esse serviço. Isso porque, o consumidor não precisa se deslocar até a loja física e tem uma excelente experiência de compra na palma da mão.

Venha experimentar uma nova forma de cativar os seus clientes e inovar no seu negócio. Clique aqui e saiba mais.